sexta-feira, 27 de agosto de 2010

MÉTODO SOFISTA

“O Homem é a medida de todas as coisas, tanto as que são, pela sua existência, como as que não são, pela sua não-existência

No método sofista os filósofos se posicionavam como detentores do saber. Contudo, se comprometiam não com a verdade, mas sim com a opinião. Em seus discursos, procuravam provocar reações prazerosas nos espectadores, utilizando técnicas de sedução a fim de transmitir seus conhecimentos. Apoiavam-se na presença do orador para induzir o espectador, por meio de sugestão, à reprodução do pensamento. Ao apoiar-se na opinião e nos jogos de linguagem, o mestre alcançava o objetivo claro de sugestionar o espectador a admitir o que ele queria. Dessa forma, o espectador é induzido a reproduzir e nada mais.

Os sofistas se organizavam em grupo heterogêneo de pensadores e professores de, entre outras matérias, dialéctica e retórica. Ao contrário de professores, os sofistas não ensinam aos homens conhecimentos, mas ferramentas de reflexão, argumentação e persuasão.

Os Sofistas foram os filósofos que precederam à escola socrática e platônica (Sócrates e Platão). O seu pensamento rodava em torno da tese e da antítese, da confrontação de idéias e seus argumentos de base. Partiam do pressuposto de que já possuíam o conhecimento a ser transmitido.

Segundo o modelo sofista, representado, entre outros, por Protágoras, Górgias e Pródico, o responsável por ensinar assume o lugar do mestre, ou seja, aquele que detém todo o conhecimento e o transmite aos alunos, estes por sua vez, devido à postura passiva, se tornam meros receptores e reprodutores deste saber.

O método sofístico induzia a manipulação através do sugestionamento, inibindo o desenvolvimento humano na capacidade de tornar-se autônomo e crítico, já que a relação com o saber torna-se hierarquizada.

Segundo o modelo sofista, o aluno seria alguém desprovido do saber, o qual poderia ser alcançado por intermédio do mestre, o único na relação suposto saber. Este modelo de ensino tem sido adotado pela sociedade ao longo dos séculos, e podemos ainda ver sua expressão no modelo clássico escolar nessa concepção, o professor é aquele que possui o conhecimento, o qual é passado para os alunos, que por sua vez assumem a posição de meros receptores e reprodutores do que é transmitido.

A metodologia de ensino à distância exige do aluno um posicionamento ativo em seu processo de aprendizagem, já que não é um mestre centralizador e possuidor de todo saber. Ao contrário, a busca pelo conhecimento é realizada em rede, na qual o aluno é um dos agentes e promotores do próprio saber.

GRUPO: Andréa, Karla Suzana, Tatielly

6 comentários:

  1. Respostas
    1. Não entendeste porque voçe é bura né amor e não soube entepretar o texto muito bem

      Excluir
  2. muito bom, me ajudou bastante, quem não entendeu é so lê novamente, com mais atenção.

    ResponderExcluir
  3. Achei um pouco confuso, pois em um momento você diz que eles ensinam conhecimentos, mas em outro diz que não, que eles ensinam ferramentas de reflexão.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. No caso, eles não se preocupam com conhecimento científico, e sim em apenas treinar as habilidades de argumentação, para a manipulação dos espectadores, sem se importarem se o que diziam era verídico ou não.

      Excluir